Así pasó

10dez13

Me enamoré de ti al volver a verte. Se me cayó todo de las manos, palabras se disolveran en el água en la boca, mis piés no me guiaron a ti porque voló mi ser.

Anúncios

Escritor sem histórias, narrador da pesonagem de autores mortos – suposição para a inatividade no ofício…talvez burlando a morte que lhe tocaria a alguém, recolheram suas mãos e me deixaram sem tom, com uma insana agonizante que se resigna em desaparecer – mulher invisível, das meias metempsicoses que assim não terminavam entre as conversas sobre virgens loucas de esposos infernais e cavaleiros loucos lutando contra moinhos gigantes. Uma se foi à África e a outra desapareceu n’A Loca. Reinventou-se, terminando a USP e se mudando pro Canadá. Suposições. Não houve qualque viagem à África, umas tentativas de mudar o mundo, resultando em mudar daqui, muidando muito pouco em dez anos. Ainda cruzar as pernas e pretender uma cara de santa compadecida, mas nua também nos olhos. Vai aprendendo a usar óculos escuros, junta as palmas das mãos em reverência e até tem sorrisos de olhos brilhates abrindo as mãos para soprar um beijo que pousa primeiro aí. E então a garota que me tocou com sono e sonho, terminando meu cigarro. Dormi 4 anos. Amores importantes aconteceram no intervalo e alguns exageros também, mas tudo calmo seguindo os picos intensos. Haverá um filho? A noite passada sonhei com o nome Maxime e pedia para lembrar quem era e qual sexo. Pensava que escrever era aquele desvario, falta de lugares comuns dentro de lugares comuns.


Algumas coisas que temos que aprender por meios improváveis, e com os olhos molhados.

 

amar


Eres..
lo que más quiero en este mundo, eso eres,
mi pensamiento mas profundo, también eres,
tan sólo dime lo que hago, aqui me tienes.

Eres..
cuando despierto lo primero, eso eres,
lo que a mi vida le hace falta si no vienes,
lo único, preciosa, que mi mente habita hoy.

Qué mas puedo decirte,
tal vez puedo mentirte sin razón,
pero lo que hoy siento es que sin ti estoy muerto, pues
eres lo que más quiero en este mundo, eso eres.

Eres..
el tiempo que comparto, eso eres,
lo que la gente promete cuando se quiere,
mi salvación , mi esperanza , y mi fe.

Soy el que quererte quiere como nadie soy,
el que te llevaría el sustento día a día ,
el que por ti
daría la vida, ese soy.

Aqui estoy a tu lado y espero aqui sentado hasta el final.
No te has imaginado lo que por ti he esperado pues eres
lo que yo amo en este mundo, eso eres,
cada minuto en lo que pienso, eso eres,
lo que más cuido en este mundo, eso eres.

Zero week passou sem maiores malestares pela altitude. Uma dor de cabeça que só se noticiava pelo silêncio e cansaço.

Um vôo rápido por área montanhosa (la cordillera) me trouxe a la cálida Sucre.  Comprar jornal e ir almoçar na Recoleta, uma da partes altas da cidade – depois descobri que a igreja de lá é uma das muitas que fazem uma cadeia lógica para os loquitos (o sea, los sucrenses)… e em parte é uma cadeia subterrânea, com túneis que interligam igrejas, mas também algumas casas, aha! Também visitamos o Parque Bolivar no extremo oposto da Recoleta.

Nosso hotel está a uma quadra da praça principal, no casco viejo, e foi minha casa por uma semana até que os classificados me levaram a uma boa casa para persona sola o matrimonio sin hijos. Na primeira noite um jantar com outra cooperante, no café da Aliança Francesa – e um vino da casa, boliviano, e riquísimo.

Domingo:  a melhor dica:  seguir usando converses, que os lustrabotas não te darão ni pelota. Joy Ride is a must here: café, bar, restaurante, boliche (disco). Tanto sol em toda uma semana de frio, resultó em uma marquinha…dica 2: use protetor solar, o meu é 55 agora.

Na semana comecei a trabalhar e fiz um minitour por outros restaurantes (e por casas en alquiler). Foi uma semana curta, com recém fundado feriado no dia 22 de janeiro, e fomos a bailar (en Joy Ride), depois de unos tragos em Florin. Tudo isso a uma quadra da praça principal, que por estes tempos de carnaval são tomadas por pandillas atirando balões com água, por doquier en toda la gente (y autos).


Mudo convite:

29ago10

Procura-se a mulher invisível.   (para escrever coisas bonitas, e delicadas. Porque sou uma borboleta, e encanto a todos os corações distraídos com meu alegre baile.)

 

x

E um bom espelho, para não voltar a surpreenderme com a sensibilidade. Aqui estou eu.


Bairro:  Sopocachi. Fiquei cerca a um mirador (justo allí detrás del montículo se decían alos que preguntaban por la ubicación de mi casita), em cujo parque há uma homenagem a desaparecidos políticos com seus rostos pintados e nomes identificados – conveniência ou cincidência que mesmo estando pela primeira vez no país, me deparo com o tema que mais me tem atraído como pesquisadora… Alí também tem um muro de esculturas de ferro, pintadas em branco – um conjunto harmonioso com o parquecito de la memoria (así lo nombro yo).  Do alto do mirador se avista la Muella del Diablo, uma formação rochosa que se pode visitar tendo meio dia livre para chegar ali e recorrer.

Em otro sentido desde minha casita temporaria está la Plaza Avaroa, por onde passei depois de um recorrido rápido pelo mercado municipal, um dia de domingo, mais dedicado às famílias e portanto vazio. Desde esta praça baixei caminhado pela Av.  20 de Octubre (onde está a casao coletivo Mujeres Creando), até a Av. Arce, onde subi a um minibus que me levou ao Padro. O passeio ali foi à Plaza Murillo, onde estão o palácio de governo e outras predios importantes que em geral se encontram ao redor de uma praça principal na maioria das capitais latino-americanas que eu já tenha visitado. Dali pasamos por una rua de museos onde também funciona uma feirinha. Cruzando a uma passarela (desde onde se pode ver El Alto), cheguei à Plaza San Francisco, onde está uma igreja com o mesmo nome. Então passei por umas quadras com restaurantes e tendas – minha chefe, inglesa, me disse que ali era a rua dos gringos.

Desde ali voltei caminhando, e neste novo recorrido passei pelo Museu de Arte Contemporáneo Plaza. com obra de artistas bolivianos muito interessantes. Quase foi possível ver o Illimani, encoberto parcialmente por nuvens – é que a tarde ensolarada logo se fechou, e choveu granizo.

Seguido al parque do Mirador está la Plaza España, caminho mais rápido a meu trabalho, ainda que isso não signifique pular as ladeiras que vuelven a uno sin aliento en la altura de La Paz.  Uff. Tive várias charlas na oficina, e ocasionalmente tambem visitei a oficina de outras organizações ou pessoas que são referentes em Bolivia no tema que irei trabalha com o projeto.

Um vegetariano pode sair-se bem aqui, tem muitos restaurantes vegetarianos ou acessíveis.  O Namaste por exemplo está em São Pedro, ali perto tem a Colonia Penal que antes se visitava com guia dos mesmos presos. Este passeio e outros (ao Valle de la Luna, por exemplo) eu não fiz, mas ficou a boa impressão sobre La Paz, como para voltar e terminar de conhecer.